Aonde o RAP vai chegar? O que vai ser do Baile? |

Aonde o RAP vai chegar? O que vai ser do Baile?

298737_10150256211122215_3645363_nSou uma pessoa ocupada…. e muito por sinal. Mas uma coisa que me preocupa é onde vou chegar e como. E agora vendo a cena do Rio de Janeiro fico alegre como produtor e preocupado em relação ao meu lado DJ. Os grupos e artistas estão com as suas fans pages ou views abarrotados de fas, os shows se não estão cheios, todas as pessoas presentes, cantam e conhecem as músicas, coisa que a uns 10 anos atrás era inimaginável, faziamos shows para pessoas que não conheciamos e muito menos elas nem imaginavam quem eramos. A galera é feita de pessoas jovens, garotos e por incrível que pareça garotas, sim isso na minha época era difícil de ver mulheres na plateia curtindo rap. Isso é muito legal para os shows mas a pista de dança fica como?

Essa é a minha maior pergunta…. O modelo de baile com danças e passinhos está acabando? Pelo menos nesse tipo de evento sim. Vejo jovens, e cada vez mais jovens, que tem ou não idade mínima para entrar na casa de show. Onde o dj é apenas uma figura secundária que serve para entreter o público para o show principal. O RAP nacional, principalmente o do Rio de Janeiro se faz a largos passos com a nova ferramenta do mundo: A INTERNET, onde o YOUTUBE, FACEBOOK, TWITTER e ETC que aparecer, e faz todos serem conhecidos e atrai mais seguidores. E como todos sabem quantos mais acessos mais poderosos somos. Isso não é errado, pode ser colocado como evolução ou o que você achar mais interessante de classificar. Só penso em como isso no futuro vai refletir nos antigos modelos de FESTAS / BAILES.

Onde chegaremos e como será o nosso futuro? Os dj’s não estarão mais aqui para apresentar músicas? Teremos bailes ligados em Wireless onde cada um ouve a sua música em fones de ouvidos?

Isso é uma coisa que só o tempo vai dizer…..

Uma resposta para to “Aonde o RAP vai chegar? O que vai ser do Baile?”

  1. Nassor Oliveira Says:

    Disse tudo, é muito interessante esse processo.
    Fico assustado que quando eu começo a dançar numa festa de hip hop nego me olha assustado dependendo do local.
    O público tá mudando, e a diferença pra público do charme tá ficando gritante, muita gente da galera nova não tá ligada na black music e nos elementos que compõem o hip hop.

Deixe um comentário: